Lista de Filmes

   Eu gosto de filmes mais parecidos com a vida cotidiana, onde pequenos acontecimentos podem ter um grande poder de transformação, onde essas transformações às vezes não são visíveis a olhos distraídos. Histórias que a gente tem que largar o celular para perceber sua riqueza, que não são feitas para todo mundo amar e comprar, que vão afetar quem se deixar tocar por algo simples e profundo; que não querem agradar, querem provocar algo. Histórias que aconteceram e podem acontecer todos os dias, de personagens tão verossímeis que a gente poderia ter conhecido, e encontram o extraordinário em meio a repetição (é o que eu gosto nos livros do John Green).

Watchlist

   Com tanto tempo livre, comecei a redigir minhas listas megalomaníacas de férias, uma delas, a Lista de Filmes. Começo pelo IMDB – Internet Movie Database, lá eu busco uma atriz, ator, diretor ou roteirista que gosto, é como um currículo lattes, só que não com todos os trabalhos daquela pessoa, até os em pré produção. Assim, eu descubro filmes que talvez nunca fossem lançados no Brasil, que não passaram nem pelos cinemas internacionais e foram direto para as caixinhas de blu-ray, ou que podem estar dando sopa nas plataformas on demand. Eu leio as sinopses, mas o que me faz escolher um filme, acaba sendo mesmo o poster. Julgando um filme pelo pôster, Mariana? Exatamente. A verdade é que as pessoas envolvidas no projeto, já são meio caminho andado pra eu querer ver o filme, e apesar de eu ser insistente, se não gostar do filme, não morro se não assistir inteiro.

   Pra que todo esse tutorial de como encontrar filmes? Pra nada, talvez seja algo que o caro leitor nunca tenha pensado em fazer e faça e momentos de tédio. O ponto é que o CMP não faz review de filmes há algum tempo, e não é por falta de assistir, é simplesmente por falta de fazer mesmo, e talvez medo de assistir com objetivo crítico algo que deveria ser simplesmente agradável. Entretanto, nunca fomos realmente embasados pra falar de alguma coisa. Então aqui vão dois filmes da minha watchlist com o pôster e algumas informações. Pretendo postar mais duplas em breve. Se conhecer algum, por favor, não deixe de compartilhar sua opinião nos comentários.

InaWorldIn a World… (A voz de uma geração – 2013)

Escrita, dirigida e protagonizada pela mesma talentosa mulher (Lake Bell), esta inteligente dramédia, habita o diferente e pouco explorado contexto da produção de voice-overs, aquela narração impactante de filmes, muito comum em trailers. Um mundo com pouquíssimo espaço para vozes femininas.

Carol Solomon é  técnica vocal e filha de um dos reis do voice-over, Sam Sotto, um cara arrogante e egocêntrico que gentilmente expulsa sua filha de casa para se casar com uma mulher mais jovem. Isso obriga Carol a se mudar para a casa de sua irmã, onde novos conflitos estão emergindo. Repleto de bons atores e personagens interessantes, a história explora relacionamentos, sexismo e a importância da voz de forma despretensiosa e muito bem humorada.

Obs.: É muito interessante a fascinação de Carol por vozes e sotaques, ela leva um gravador pra todo lado.

TheToDoListThe To Do List (O diário de uma virgem – 2013)

   Protagonizado pela ótima e incompreendida Aubrey Plaza, este é um filme de comédia com todas as letras, para gargalhar mesmo. Com uma premissa muito explorada no cinema, principalmente em comédias, The To Do List inova nos detalhes e na leveza de não se levar tão a sério; como faz com a adolescência retratada na trama.

   Brandy Klark acaba de se formar e depois das férias de verão irá para a universidade. A sempre eleita melhor da turma e oradora da formatura começa um novo projeto de férias: perder a virgindade antes de ir para a faculdade. Com esse objetivo, Brandy faz uma lista de experiências sexuais que ainda não teve e busca ter durante as férias, tratando tudo como um projeto de biologia e estudando dedicadamente como sempre fez na escola. É muito interessante a inversão de papéis usuais, Brandy usa os garotos para o seu experimento, eles é quem se reduzem ao corpo.

  É um filme divertidíssimo e sem tabus, leva tudo com muita naturalidade; tom de leveza já colocado pela protagonista e suas amigas. Além das amigas, a família de Brandy (aberta a discutir TUDO) e a equipe da piscina também rendem ótimos momentos, representados por esse elenco cheio de comediantes. Mais ousado do que a maioria dos filmes dedicados à esta fase da vida, se mostra com poucos escrúpulos desde o início com a cena do “cocô” boiando na piscina, colocando os limites a uma distância bem maior do que a esperada. A história termina de forma pouco previsível, marcada por um ótimo discurso da protagonista no clímax, passando longe de clichês.

Obs: A história é ambientada em 1993 o que torna tudo ainda mais engraçado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s