Trabalhar no Paraíso pode ser um Inferno

UM LIVRO SOBRE O CÉU, A TERRA E PEQUENOS MILAGRES
“Ele ligou o computador, deu um gole na cerveja e digitou seu nome na caixa de busca: D… E… U… S.”

 

      Vou começar pelo espanto que tive ao abrir a orelha de trás e descobrir que o autor, Simon Rich, é uma criança! Mentira, ele tem quase 30 anos, mas com cara de 15, sério.

O livro nos apresenta um paraíso cômico, com um deus avoado e negligente, e que usa superioridade para favorecer seus ídolos humanos; tendo como funcionários, anjos e arcanjos que cuidam dos mais diversos assuntos. O enredo se centra mais no departamento de milagres, onde trabalha Craig, um réles anjo funcionário do mês, que se propõe a salvar a Terra depois que deus decide se aposentar.

   É rápido e levíssimo, ideal como “entre-livros”. Para aliviar a tensão do dia-a-dia ou de uma história anterior mais pesada, até mesmo para anteceder um enredo que você sabe que te causará claustrofobia.

   Com isso não quero desvalorizá-lo, de maneira alguma, questões muito importantes são abordadas e nos fazem refletir. Apenas quero salientar a leveza com que tudo isso é levantado. Discute-se o papel da humanidade de forma extremamente interessante e bem-humorada. Enfim, foi uma grata surpresa, que encerrou minhas férias de forma otimista e despreocupada. Resumindo, é um livro para espairecer e rir das nossas próprias imperfeições.

Trabalhar no Paraíso pode ser um Inferno de Simon Rich                                                                                             Editora Planeta |  213 páginas

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s